Pesquisar
Close this search box.

Rússia x Ucrânia: onda de calor afeta as lavouras

Estresse térmico atingiu áreas de milho na Ucrânia

Conforme levantamento realizado no boletim semanal de clima e culturas do USDA, as chuvas, mesmo que irregulares, favoreceram as culturas de verão em estádios reprodutivos e de enchimento antes da chegada de onda de calor no final da semana no leste Europeu.

Durante o início do período, o clima se mostrou favorável, no entanto, uma onda de calor no fim do verão atingiu especialmente a Rússia. Chuvas irregulares, que oscilaram entre 5 e 80 mm, foram registradas em Moldova, oeste e norte da Ucrânia, Belarus e oeste da Rússia. Entretanto, algumas áreas, como o sudoeste da Rússia (Krasnodar Krai), sudeste da Ucrânia e sul do Distrito Volga da Rússia, receberam menos de 5 mm. A umidade do solo manteve-se em níveis adequados na Ucrânia e abundantes na Rússia, sustentando as fases reprodutivas (norte) até o enchimento (sul) do milhosoja e girassóis.

Na Ucrânia, as temperaturas máximas diárias atingiram brevemente os médios 30°C nas principais áreas de cultivo de milho ao norte e chegaram a 38°C no sul da Ucrânia e em Moldova. A partir de 7 de agosto, as temperaturas na Ucrânia central voltaram a se estabilizar entre os altos 20°C e baixos 30°C. Na Rússia, foram registradas temperaturas na casa dos altos 30°C nos distritos do Sul e do Norte do Cáucaso. Diferentemente das áreas agrícolas a oeste, a onda de calor na Rússia se estendeu pela semana seguinte.

Embora a umidade abundante do solo, resultado de um verão chuvoso, tenha inicialmente compensado os efeitos do calor na Rússia, as culturas de verão em estágios finais de reprodução até início de enchimento mostraram-se vulneráveis a possíveis perdas de rendimento devido à persistência das altas temperaturas.

Material elaborado pelo metereologista, Gabriel Rodrigues com revisão de Seane Lennon.*

Fonte: Agrolink

AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email