Pesquisar
Close this search box.

Não é o melhor caminho segurar milho

Será que o mercado vai se recuperar?

De acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica, não está valendo a pena segurar milho esse ano. “Ao compararmos os preços atualmente pagos aos agricultores pelo milho com a nossa tabela de custos de carregamento da posição até a próxima safra, vemos que os agricultores estão perdendo dinheiro”, comenta.

“Se tivessem colhido e vendido a primeira safra, teriam um rendimento hoje ao redor de R$ 57,52/saca em Cascavel, onde o preço pago hoje aos produtores é de R$ 48,00/saca, prejuízo de 16,55%. No Rio Grande do Sul, o preço pago hoje aos produtores está em R$ 54,00/saca, em Passo Fundo, mas, se tivessem colhido e vendido logo, estariam recebendo hoje algo como R$ 65,38/saca, prejuízo de 21,07%.  A própria Bolsa de São Paulo, B3, estava cotando ao redor de R$ 74,00/saca em janeiro e agora está em R$  57,15/saca. Deveria ter vendido naquela época no pregão do mercado futuro em São Paulo”, completa.

A principal pergunta que é feita, segundo a consultoria, é se o mercado é capaz de se recuperar. “Nunca se sabe ao certo, mas, o clima parece estar castigando as principais regiões de milho safrinha no Brasil. Se isto se acentuar e a safra for menor do que a projetada, é possível que os preços subam, proporcionalmente. Mas, é pouco provável que atinjam os bons preços que havia em janeiro, logo depois da colheita”, indica.

Fonte: Agrolink.
Picture of AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email