Pesquisar
Close this search box.

Ministro Fávaro destaca que missão oficial trouxe novas oportunidades para o agro brasileiro

Buscando fortalecer laços, o vice-presidente, Geraldo Alckmin, liderou comitiva para a Arábia Saudita e China. Entre os resultados está a abertura de novo mercado e promoção do café brasileiro

Com foco em estreitar laços, estabelecer cooperação e abrir mercados para produtos brasileiro, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, embarcou no dia 1º de junho para Arábia Saudita e China em missão oficial liderada pelo vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin. A delegação contou também com representantes da equipe técnica do Mapa, outros ministros de Estado e empresários, todos dispostos a trazer novas oportunidades para os brasileiros.

A missão teve início na Arábia Saudita, com reunião com o ministro de Investimentos da Arábia Saudita, Khalid Al Falih e com empresários e fundos de investimento dos dois países. O ministro Fávaro destacou que o país é o principal parceiro do Brasil do Oriente Médio. “Só da agropecuária brasileira foram exportados, em 2023, US$ 2,9 bilhões. Entre os principais produtos estão frango, açúcar, carne bovina e grãos. Mas, as oportunidades são ainda maiores, podemos e devemos diversificar, por exemplo com café e frutas”, disse.

Já na China, no ano em que é celebrado 50 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e a China, o ministro Carlos Fávaro participou da VII Sessão Plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN), em Pequim.  A comissão é o principal mecanismo de diálogo bilateral regular com a China. Na ocasião, foram firmados 8 instrumentos intergovernamentais e anunciados 30 resultados, além de 11 atos do setor privado, em diversas áreas.

Entre os atos assinados está a aprovação dos requisitos sanitários e de quarentena relacionados à qualidade das pecans brasileiras. A partir de agora, o Brasil poderá exportar noz-pecã para a China. A estimativa é que a abertura do mercado chinês poderá representar negócios acima de US$ 1 milhão.

Ainda durante a missão oficial, o Governo Federal fechou acordo para a promoção do café brasileiro na maior rede de cafeterias chinesa. Por meio da parceria, a empresa se compromete a promover e comercializar ativamente o café brasileiro para seus clientes e parceiros. O acordo assinado prevê a compra de aproximadamente 120 mil toneladas de café brasileiro pela rede, no valor cerca de U$ 500 milhões.

“Há três anos o Brasil exportava apenas US$ 80 milhões em café para China. O ano passado saltou para US$ 280 milhões. Agora, só essa empresa formalizou mais US$ 500 milhões. Com isso surge oportunidade para os brasileiros. É mais emprego e mais renda”, explicou Fávaro.

Também foi realizada reunião com a presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), o Banco dos Brics, Dilma Rousseff, e, na ocasião, foi anunciado US$ 100 milhões para a reconstrução da infraestrutura agrícola no estado gaúcho, como por exemplo, em projetos de armazenagem e de logística.

O ministro Fávaro também participou do Seminário Empresarial Brasil-China: os próximos 50 anos, em Pequim. Em discurso, destacou a importância do encontro e o potencial brasileiro para produzir cada vez mais de forma sustentável. “É determinação do presidente Lula o estreitamento das relações diplomáticas. Já são perceptíveis os resultados. O avanço das relações comerciais, das oportunidades de negócio e de prosperidade para o povo chinês e para o povo brasileiro já são eficientes. Isso já reflete na economia dos dois países”, pontuou.

Em encontro com bancos asiáticos, no Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB), Fávaro apresentou o Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradas em Sistemas de Produção Agropecuários e Florestais Sustentáveis (PNCPD). A iniciativa brasileira visa contribuir com a segurança alimentar e nutricional do planeta e o enfrentamento às mudanças climáticas. A ideia é trazer cada vez mais fomento do exterior para o Programa.

Por fim, em reunião com o presidente chinês, Xi Jinping, o vice-presidente, Geraldo Alckmin, pontuou suas percepções. “Concluímos esta missão à China com resultados muito satisfatórios. Garantimos mais de R$ 24,6 bilhões em financiamentos para projetos diversos no Brasil, com foco significativo na reconstrução do Rio Grande do Sul”, afirmou Alckmin. Em sua passagem pelo país, o vice-presidente reforçou o compromisso do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio ambiente, ressaltando que o Brasil é um país estável, com economia em expansão e que, recentemente, aprovou reformas como a tributária, que facilitam ainda mais os investimentos no país.

 

Fonte: Notícias Agrícolas.

Picture of AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email