Pesquisar
Close this search box.

Milho cai na B3 por tomada de lucros

O lado comercial do mercado de milho está preocupado com a produção de 2023 há muito tempo

Na Bolsa de Mercadorias de São Paulo (B3), o milho fechou em queda de 1,71% por tomada de lucros, aproveitando fechamento de Chicago e dólar, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Foi natural que os investidores no mercado de milho da B3 realizassem lucros, depois das fortes altas de 4,46% da última sexta-feira. Não é todo dia que se vê um ganho destes de um ainda para outro (nem em um mês, a não ser os bancos que cobram juros de 14-17%, assim mesmo, ao mês)”, comenta.

“Contribuíram, também para a tomada de lucros a ausência do mercado de Chicago e a forte queda de 0,92% do dólar. Diante deste quadro, as cotações futuras fecharam em baixa: o vencimento julho/23 fechou a R$ 56,22, alta de R$ -0,98 no dia e alta de R$ 3,04 na semana; o vencimento de setembro/23 foi de R$ 61,13, baixa de R$ -0,83 no dia alta de R$ 3,18 na semana; novembro/23 fechou a R$ 63,80, baixa de R$ -0,99 no dia e alta de R$ 3,61 na semana”, indica.

“Algumas das vozes mais importantes da agricultura continuam a aumentar a aposta quando se trata de prever o imprevisível, ou em outras palavras, quão alto os futuros de milho de dezembro de 2023 podem subir durante este mercado climático. O lado comercial do mercado de milho está preocupado com a produção de 2023 há muito tempo, conforme indicado pelo fraco carregamento contínuo na curva futura de 2023-2024. A cobertura a descoberto do lado não comercial (investidores) alimentou a alta de mais de US$ 1/bushel no milho de dezembro nas últimas quatro semanas”, conclui a TF Agroeconômica, citando informações da Darin Newsom.

Fonte: Agrolink

Picture of AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email