Pesquisar
Close this search box.

Cotações do milho não param de recuar na B3

Em Chicago, o milho fechou em baixa com melhora nas lavouras americanas

Na Bolsa de Mercadorias de São Paulo (B3), o milho segue recuando, assim como na semana passada e no início desta, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “As cotações do milho no mercado futuro da B3, em São Paulo continuaram a recuar nesta terça-feira, pela sexta vez consecutiva, diante do forte recuo da cotação de Chicago, base dos preços de exportação no Brasil”, comenta.

“A pressão de ofertas do interior para desocupar armazéns e escoar a safra continua grande. Há algum volume armazenado a céu aberto no Mato Grosso, que precisa ser escoado antes das chuvas de novembro e isto pressiona os preços. O vencimento setembro/23 fechou a R$ 52,71, baixa de R$ -0,38 no dia e baixa de R$ -3,02 na semana; o vencimento de novembro/23 foi de R$ 56,52, baixa de R$ -0,89 no dia, baixa de R$ -2,97 na semana; janeiro/23 fechou a R$ 60,19, baixa de R$ -0,95 no dia e baixa de R$ -2,81 na semana”, completa.

Em Chicago, o milho fechou em baixa com melhora nas lavouras americanas e desvalorização do real. “A cotação para setembro23, referência para a nossa safra de inverno, fechou em baixa de 2,47 % ou $ -11,75 cents/bushel a $ 464,00. A cotação de dezembro23, a principal data negociada nos EUA, fechou em baixa de -2,51 % ou $ – 12,25 cents/bushel a $ 475,50”, indica.

“O milho negociado em Chicago fechou em baixa nessa terça-feira. Após o fechamento da sessão do dia anterior, o USDA informou uma melhora nas condições das lavouras. Pela primeira vez na temporada os números apresentados pela entidade são superiores ao ano
anterior”, conclui a consultoria.

Fonte: Agrolink

AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email