Pesquisar
Close this search box.

Açúcar: contratos futuros fecham em alta nas bolsas internacionais

Etanol cai 2,67%

Os contratos futuros do açúcar fecharam em alta nas bolsas internacionais nesta quinta-feira (1º). Mesmo com o novo anúncio de baixa no preço da gasolina no Brasil, maior produtor de açúcar do mundo, o que desestimularia a produção de etanol, forçando uma maior produção de açúcar, os contratos de maior liquidez das bolsas de Nova York e Londres fecharam valorizados.

Segundo analistas ouvidos pela Reuters, os negociantes observaram que a queda dos preços dos combustíveis no Brasil continua sendo uma influência baixista. “Mas um bom fluxo de açúcar no mercado de exportação e a seca na Europa foram vistos como fatores de sustentação”.

 

Na Ice Futures de Nova York, o açúcar bruto, lote outubro/22, foi contratado ontem a 17,99 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 0,6% no comparativo com os preços praticados na quarta-feira.

Ontem, a Petrobras anunciou que reduzirá os preços da gasolina nas refinarias em 7% a partir desta sexta-feira, o que pressiona os preços do etanol, que concorre diretamente com o combustível fóssil.

Londres

Em Londres o primeiro dia de setembro também foi de alta nas cotações do açúcar branco negociadas na ICE Futures Europe. O lote outubro/22 foi contratado ontem a US$ 559,10 a tonelada, valorização de 8,30 dólares, ou 1,5%, no comparativo com os preços praticados no dia anterior.

Mercado doméstico

No mercado interno a quinta-feira foi de baixa nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada a R$ 123,99 contra R$ 125,07 da véspera, recuo de 0,86% no comparativo.

Etanol hidratado

O etanol hidratado também iniciou setembro em queda livre. Ontem, as cotações do biocombustível, pelo Indicador Diário Paulínia, fecharam em R$ 2.372,00 o m³ contra R$ 2.437,00 o m³ praticado na quarta-feira, recuo de 2,67% no comparativo entre os dias.

Fonte: Agrolink

Picture of AMVAC

AMVAC

As soluções da AMVAC proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email